quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Perguntas e Respostas Parte1

Olá pessoal!!!!!

Hoje vamos dar início ao Perguntas e Resposta Parte1

Aqui tentarei responder todas as suas dúvidas sobre dança do ventre!!!!

Podem ficar a vontade para deixar suas perguntas aqui nos comentários.

Então vamos começar ?

1- A dança do ventre engorda?

Todo mundo faz essa bendita pergunta, e a resposta é um grande "NÃO" . Nenhuma atividade física engorda, pelo contrário, quando o corpo sai do sedentarismo a tendência é sempre ganhar mais saúde, gastar mais calorias e por fim emagrecer.

Na dança do ventre trabalhamos dentre outras coisas a coordenação motora, agilidade, consciência corporal, ou seja, movimentamos o corpo!

E todo corpo que se movimenta gasta calorias!!!

Mas atenção, nenhuma atividade faz milagre, e sim uma boa alimentação que é sem dúvida 90% na questão perda de peso!

O mais estranho é quando alguém pergunta: " Precisa ter barriga para dançar danca do ventre?"
Jesus amadoooooo.... como assim? .....não, não precisa!!!!

Então pessoal, a dança do ventre não engorda e ponto.


2-  A dança do ventre " dá barriga"?

Essa é a segunda pergunta mais famosa, e pela segunda fez eu digo: " não "!

Podemos ter uma barriga saliente por alguns motivos:
 
  1- Má postura: se prestarmos atenção veremos que muitas pessoas super magras tem uma barriguinha, isso pode ser um problema de postura que se resolve com RPG.
 
  2- Alimentação: não preciso nem explicar né? Uma má alimentação pode acarretar vários problemas inclusive fazer aparecer aquela barriguinha.

   3 - Problemas de saúde.


3- Exite idade mínima ou máxima para dançar?

Para toda atividade exite um limite, e na dança não é diferente.

Tanto para uma criança quanto para um idoso os exercícios devem ser moderados e aplicados com cautela.

Para uma criança é interessante uma aula mais dançante, para gastar as energias. Os movimentos localizados devem ser dados com intensidade de moderada a baixa.

Para os idosos usa-se a lei do limite, a aluna pode fazer tudo desde que saiba seus limites !

Portanto, o importante é sempre buscar um profissional, assim todos podemos dançar com segurança!


4- Em quantos anos vou aprender tudo?

Só para início de conversa, ninguém sabe tudo e nunca saberá!! De uma maneira geral, acredito que em média uns 3 anos, a aluna já consiga ter uma ótima noção.

Não é uma dança fácil, e também não é uma dança documentada com regras e anos certos igual ao balé, assim cada escola e cada professora monta um cronograma.

Mas não se enganem, conheço meninas que com 1 ano de aula já se consideram professoras! Então, sempre procurem saber da formação da sua professora, sobre a escola e etc...

O importante sempre é nunca parar de estudar!!


5- Existem cursos profissionalizantes?

Sim, hoje em dia quase todas as escolas grandes oferecem cursos profissionalizantes. A dica é pesquisar um por um e ver qual te oferece maior conteúdo como anatomia, nutrição, didática, musicalidade e etc...

Procure um curso que você se sinta completa e preparada, tanto para dar aula quanto para ser bailarina profissional.


          Você tem alguma dúvida? é só comentar aí em baixo!!

                               Beijokas e até a próxima!!!



segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Dança do Ventre - Oitos

Olá pessoal!!!

Hoje vamos aprender um pouco sobre os Oitos, o movimento mais famoso na classe dos sinuosos.

Como em qualquer dança, a bailarina tem o dever de transmitir para o público através do corpo a melodia, a música que está sendo tocada.

A música árabe é bem sentimental, e fala muito sobre amor, por isso existem partes bem lentas; sinuosas mesmo.

Nessa hora que entra o nosso querido Oito e suas variações.

Ele pode ser usado em qualquer tipo de música, basta só pedir um movimento lento e fluído!

Existem quatro tipos de Oito (básicos), para frente, para trás, para cima e para baixo. Todos são executados usando a mesma postura, ou seja, quadril encaixado, abdômen contraído e joelhos semiflexionados.

A base técnica se resume em:


1- Flexão e extensão dos joelhos.

2- Torção de quadril.

3- Transferência de peso.


Cada oito terá a sua sequência, exemplo:


Oito para trás: 1- Transferência de peso para a direita.
                        2- Torção do quadril de frente para trás ainda com o peso na direita.
                        3- Transferência de peso para a esquerda.
                        4- Torção do quadril de frente para trás ainda com o peso na esquerda.

Oito para frente: 1- Transferência de peso para a direita.
                            2- Torção do quadril de trás para frente ainda com o peso na direita.
                            3- Transferência de peso para a esquerda.
                            4- Torção do quadril de trás para frente ainda com o peso na esquerda.

Nos dois movimentos acima, temos que imaginar um oito na horizontal, como se estivesse desenhado no chão, você no centro e o seu quadril desenhando as curvas do oito.



Oito para baixo 1- Extensão do joelho direito.
                          2- Transferência do peso para a direita, fazendo uma bolinha para baixo.
                          3- Extensão do joelho esquerdo.
                          4-Transferência do peso para a esquerda, fazendo uma bolinha para baixo.

Oito para cima  1- Flexão do joelho direito.
                          2- Transferência do peso para a direita, fazendo uma bolinha para cima.
                          3- Flexão do joelho esquerdo.
                          4-Transferência do peso para a esquerda, fazendo uma bolinha para cima.


Nos dois movimentos acima, temos que imaginar um oito na vertical, como se estivesse desenhado no espelho, você no centro e o seu quadril desenhando as curvas do oito.



Todos os oitos básicos são fluídos e contínuos!!!

Dicas:

1- Nunca torcer o quadril no oito para baixo e no oito para cima.

2- Sempre igualar os lados, o movimento tem que ser uniforme.

3- Se preferir, desenhe um oito bem grande no chão se foi o para frente ou para trás, e no espelho se for o para cima ou para baixo. Assim fica mais fácil de visualizar o movimento.



   Acompanhe os movimentos pelo vídeo!!!








terça-feira, 20 de janeiro de 2015

domingo, 11 de janeiro de 2015

Dentro da cabeça de uma Iniciante em Dança do Ventre e a Baixa Autoestima


Quando comecei a dançar (há um ano) tudo aconteceu tão rápido que não pude duvidar ou dizer não.

Eu já havia feito dança antes por que desde pequena eu gostava de me mexer, e sempre gostei de um exercício físico que me não tivesse um padrão de repetição e que me coloca-se em desafio.

Mas o desafio maior que me fez iniciar as aulas foi um que me assombrava há muito tempo. Na verdade é um fator que assombra a maioria das mulheres... Baixa Autoestima!

Eu fazia aula de dança de salão e sou apaixonada por  SambaRock até hoje ! Mas como psicóloga (que sou) percebi que esta modalidade me deixava na minha zona de conforto. 

Por que com a dança de salão eu tinha um parceiro, no qual eu deveria confiar e obedecer aos passos pedidos, pensando teoricamente sobre isso o indivíduo passa a se apoiar em uma questão externa que lhe garante a segurança necessária para enfrentar aquilo que o desagrada.

Entendam que a Dança de Salão pode sim ser utilizada para fins terapêuticos que trabalhe a confiança, autoestima e inibição, contudo ela trás um caráter grupal, onde na figura do seu parceiro você poderá trabalhar todos estes pontos que descrevi projetando e introjetando a todo tempo e com isso alcançar o entendimento.

No meu caso em específico, cheguei à conclusão que dentro de um grupo e tendo um parceiro para me apoiar não me faria evoluir em minhas questões de baixa autoestima por que era mantida em um grupo de iguais, se eu fosse diferente e resolvesse as minhas questões, não seria mais parte desse grupo eu iria me despontar, então pra sobreviver dentro dele, me mantive igual.

A Dança do Ventre apareceu na minha vida há muito tempo na verdade, desde a novela “O Clone” (parte vergonhosa da Staff) que fiquei encantada com as roupas, acessórios e o poder de sedução que aquelas mulheres tinham ao dançar.

Uma amiga muito próxima da época de faculdade dançava a anos e por ela tive a oportunidade de começar a fazer minhas aulas.

Foi um começo difícil, como fui tratar minha baixa autoestima, me olhar no espelho a cada aula e gostar daquilo que estava vendo, foi um embate singular comigo mesma. E a cada aula eu me perguntava “o que estou fazendo me mexendo dessa forma? O que eu tenho na cabeça?”. 

Quando você pratica um estilo de dança a repetição leva a perfeição, mas essa regra básica é levada a extremos dentro da DV. Ao fazer uma sequencia de passos na Dança de Salão a partir da terceira vez a sequencia flui, isso não acontece em DV! Talvez você leve meses para descobrir que o seu corpo para fazer aquele movimento, precisa de mais um pouco de força, flexionar mais os dos joelhos, de postura... E você vai se encontrando dentro daquele passo, e quando ele esta acomodado dentro de você, ai sim ele flui, e esse tempo é todo seu.

Como havia essa necessidade de me conectar com aquele passo para executa-lo bem, não podia me apoiar em um parceiro por que era eu que tinha que faze-lo, era o meu quadril que tinha que se mexer, era eu que tinha que ter mãos suaves e charmosas, era eu que tinha que olhar no espelho e me gostar.

Fui empoderada de todas as minhas questões sobre minha baixa autoestima, e obtendo o controle sobre ela pude trabalhar como eu quis, em um tempo todo meu. Existe um tempo de acomodação do indivíduo a cerca de suas questões. Trazer a consciência deste indivíduo às questões projetadas dentro de uma dinâmica é a forma que o terapeuta grupal tem de acomoda-las no plano consciente e assim trabalhar durante o tempo da sessão. 

Hoje um ano se passou, sai do Iniciante para o Básico, e ao ver os vídeos de dançarinas que amo não me pergunto mais “Como elas conseguem?” - Mas sim “ Como que eu vou fazer isso?” Por que eu vou! Mais cedo ou mais tarde.

Vocês podem me perguntar “mas Pamela e sua baixa autoestima?” ela continua aqui, me golpeando em alguns dias, me fazendo carinho em outros, mas a diferença é que eu sei que posso molda-la, muda-la e enfrenta-la nos dias mais sombrios por que tenho o instrumento para isso, eu DANÇO.

Então vamos estudar dança?

Até breve Dancers!


Pamela Leonardo








segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Look do dia + tutorial de maquiagem

Olá pessoal!

Para começar o ano de 2015 com tudo, o look do dia traz uma opção de vestido de oncinha e salto alto, com uma make dourada super luxo!!!

Usei na festa de fim de ano, e ameiiii...  tirei algumas fotinhos para mostrar, e gravei um tutorial rapidinho  da make!













Make






Lista de produtos:


Sombra  branca e marrom: Paleta Jasmyne v042
Sombra preta:  Beauty Color Tornado 03
Sombra dourada: Quem disse Berenice? dourado 306
Blush: Avon rosa
Pó Compacto: Jasmyne
Primer Hd Vult
Base Duda Molinos rosa 03
Corretuvo: Marchetti 02
Pó iluminador: Dailus 02
Caneta delineadora; Make B. preto
Lápis de olho Toque de Natureza
Máscara de Cílios Maybelline The colossal volum
Batom: Maybelline Forever Red 802
Lapis para lábios: Maybelline  Hydra Extreme red glamour 06




Bjinhos!!!!!